UM GOLE DO UNIVERSO

em crônicas

Em 2016 coloquei como uma das metas do ano "Aprender a fazer um bom nhoque", mas foi só no final de 2018 que finalmente fiz um nhoque com cara e sabor de nhoque. Um prato que eu pensei "Eu pagaria por isso em um restaurante. Não pagaria muito caro, mas pagaria". E considerando meus talentos gastronômicos, pra mim isso foi uma baita conquista, que só foi possível porque eu me empenhei muito mais do que nos anos anteriores. Em um mês eu fiz mais nhoques (e tentativas de nhoques) do que a soma de todas as tentativas dos dois anos anteriores. Eu aprendi empiricamente que a repetição constante é um importante hábito para aprendermos a fazer algo que exige técnica, tal como escrever... Que é uma das minhas metas de 2019 :)

  • Karen Harumi

"Adicione um título atraente"

Atualizado: 20 de Set de 2019

"Seu post interessante começa aqui"


[1º dia]


Que pressão gigantesca a própria plataforma de criação de sites faz na gente com essas frases, não é? Ainda nem há um público, mas já existe a demanda...


Quando resolvi me empenhar a escrever por aqui eu não achei que a pressão começaria tão cedo.




Adicionei aqui a imagem de algo que considero muito atraente nos últimos tempos: talheres furta cor. Achei que ficaria coerente com o tema. Tudo que fala sobre talheres furta cor eu estou lendo e adicionando no carrinho sem finalizar a compra.

Aliás, eu deveria ter falado sobre eles...

(mas eu não falei, como você verá)



"Adicione um título atraente"

é uma ordem extremamente difícil de obedecer, ainda mais para uma pessoa leiga como eu, tanto na arte de "adicionar títulos" e dar nomes a qualquer coisa, quanto na arte da atração: que dominei apenas para atrair pernilongos, o chão em sua mais variada forma (talvez o correto seja dizer que o chão que domina a arte de me atrair) e histórias aparentemente inusitadas.


Eu gosto bastante de viver essas histórias aparentemente inusitadas,

já me acostumei com o chão

e detesto pernilongos


e isso me faz pensar no tipo de atração que esse blog pode exercer, já que nem sempre atrair é bacana. Dou muito dinheiro para as empresas de repelente para não atrair pernilongos.


"Atraente" é algo muito vago, além disso, faltou um referencial.

"Adicione um título atraente" pra quem? Pra leitores que eu nem sei se terei??


Que desagradável. Isso acabou de me fazer pensar que nem leitores eu ainda tenho!!!!! Que escrever tudo isso aqui, muito provavelmente é um acesso de loucura e introspecção. Que na verdade eu não estou falando com ninguém!


Acabei de pegar aversão à palavra atraente.


E se eu não quiser escrever sobre algo atraente?


E se eu quiser escrever sobre dor de barriga ou uva-passas?


E se eu atrair pessoas que acham dor de barriga ou uva-passas atraente?????


...


Pra piorar depois vem escrito "Seu post interessante começa aqui".


E se eu, neste momento, só conseguir escrever sobre algo desinteressante como "A minha revolta com a plataforma de criação de sites que me pressiona com a frase 'Adicione um título atraente'"?




É disso aqui que eu estou falando:

(a) interface de postagem deste blog e o meu primeiro contato com o mesmo




Eu odeio essa sensação de que estou sendo visivelmente manipulada, induzida por essa plataforma a ser pretensiosa quando a tão poucas horas eu havia decidido que esse seria o ano do carpe diem. O ano em que eu tentaria ajustar minhas expectativas para aproximadamente 0. E aí já vou começar tendo a pretensão e expectativa de escrever algo atraente e interessante?!


Se estivesse escrito apenas "Adicione um título" já ia ser pressão suficiente saber que eu teria que nomear a minha redação no final, dar nomes e títulos já é algo difícil por si só (que o diga a Ladanfarifa, uma das primeiras personagens que criei aos 9 anos), mas Atraente, pra ajudar, é o tipo de palavra que conversa com a minha Insegurança e concluem em conjunto: não tá rolando...


CONTUDO para não desistir de um projeto que acabei de começar, eu decidi me apoiar na subjetividade da palavra "atraente" e em especial na opinião do único público que eu tenho nesse momento: Eu mesma.


Eu mesma, Karen Harumi, prazer, sou, além de prolixa, uma pessoa fortemente atraída pela palavra atraente (mesmo com o asco recente que peguei dela). O fato da palavra atraente ser tão incerta e mutável a torna interessante por si só, o que faz com que no fundo, apesar da minha insegurança, eu ache o título "Adicione um título atraente" bem atraente no final. Conheço muitas pessoas que discordariam, mas sei que muitas delas gostam de uva-passa também.


Sou péssima com etimologia, mas se eu fosse mentir para uma criança de 10 anos que eu sei a origem da palavra Atraente eu ia dizer que é uma aglutinação das palavras Através da Mente.


"...O que torna qualquer coisa atraente para alguém envolve a interação de vários signos no consciente e inconsciente de cada ser." Eu diria isso, preferencialmente usando óculos.


Inclusive isso me fez lembrar de algo...


Não faz nem um mês que eu estava tentando substituir a palavra "bonita" por "atraente" em alguns contextos. Estive pensando que dizer que algo ou alguém é bonito nem sempre abrange tudo o que eu desejo expressar com essa palavra. A beleza, apesar de ampla, é totalmente influenciável pelo meio externo; é algo que nos é ensinado e possui uma tendência excludente. Já a atração possui um primitivismo que às vezes torna os nossos gostos incompreensíveis à nós mesmos. É uma força interna influenciada pelo que aprendemos em nosso meio social, mas totalmente pessoal, é impossível ensinar à alguém o que lhe é atraente. Só a pessoa sabe, na verdade, só a pessoa sente. Por isso é tão difícil "Adicionar um título atraente", ainda mais para um público inexistente.


Mas explicar por que considero "atraente" um elogio mais completo e pessoal do que "bonito" e vários outros elogios seria longo e complexo, aliás, daria um post. Um post que não quero escrever agora porque já escrevi tudo o que veio na minha cabeça antes de eu lembrar que esse até poderia ser um post interessante e com um título atraente...


Mas isto ficará para outro dia!


O 1º post, o post de hoje, 1º de janeiro de 2019, a 1ª crônica escrita no mês de janeiro será sobre isso*.


E também criei uma regra para esse desafio que me coloquei:


REGRA 1: Nenhum assunto que me der na telha de escrever aqui será considerado desinteressante pela Convenção dos Textos Aleatórios, decretado pela OPDEL (Organização das Pessoas que Desejam Escrever Livremente), da qual eu sou a única membra. Não me cabe julgar algo que eu nem mesma criei ainda, cabe menos ainda ao leitor que ainda nem existe. Esta função será dada pela OPDEL só e somente à Emma, a cachorra da minha irmã que gosta de qualquer coisa que eu faça, inclusive textos que ela nunca leu (se leu, nunca me contou).





*"Isso" = Qualquer coisa que você tenha entendido do que foi escrito.

62 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
 
 

Em ©2021 eu ainda estava morta.