UM GOLE DO UNIVERSO

em crônicas

Em 2016 coloquei como uma das metas do ano "Aprender a fazer um bom nhoque", mas foi só no final de 2018 que finalmente fiz um nhoque com cara e sabor de nhoque. Um prato que eu pensei "Eu pagaria por isso em um restaurante. Não pagaria muito caro, mas pagaria". E considerando meus talentos gastronômicos, pra mim isso foi uma baita conquista, que só foi possível porque eu me empenhei muito mais do que nos anos anteriores. Em um mês eu fiz mais nhoques (e tentativas de nhoques) do que a soma de todas as tentativas dos dois anos anteriores. Eu aprendi empiricamente que a repetição constante é um importante hábito para aprendermos a fazer algo que exige técnica, tal como escrever... Que é uma das minhas metas de 2019 :)

  • Karen Harumi

Sequestradora de Corações

Algum dia de 2002. Final de semana. Eu estava no bate-papo da UOL, na sala Lorena.


Uma pessoa (ou assim eu esperava) puxou assunto. Era uma menina da minha idade (ou assim dizia) e conversamos por vários finais de semana e madrugadas, como a internet discada permitia.


A minha primeira amiga de internet!

Eu me sentia moderna e a minha mãe receosa.


Assim nossa amizade surgiu, até resolvermos ir para o próximo passo: a ligação.

Conversamos pelo telefone várias tardes, até resolvermos ir para o próximo passo: o encontro.


Foi quando veio o convite da parte dela:


"Pergunta pra sua mãe se você não pode ir com a minha família para o pesque-pague!"


Então eu muito feliz perguntei pra minha mãe e muito triste (e um pouco assustada) ouvi a resposta:


"NÃÃÃÃO! KAREN! E SE FOR UM SEQUESTRADOR? A GENTE NEM CONHECE ESSAS PESSOAS QUE QUEREM TE LEVAR PRA UM MATO COM LAGOA, KAREN!"


Eu tentei argumentar:


"Mãe! Fala com ela! Fala com a mãe dela! Elas podem passar aqui em casa pra conversar!"


"VOCÊ TÁ PASSANDO NOSSO ENDEREÇO PRA SEQUESTRADOR, KAREN? E SE FOR ALGUÉM USANDO OUTRA CRIANÇA PRA TE SEQUESTRAR OU SE FOR UM SEQUESTRADOR IMITANDO VOZ DE CRIANÇA? E SE FOR UMA CRIANÇA SEQUESTRADORA?!"


Como se pode concluir: não fui no pesque-pague (mas continuamos conversando). Tempos depois eu mudei de residência e também teria que mudar de escola, minha mãe achou que era uma boa ideia me consultar porque afetava diretamente o meu futuro, e foi quando me mudei para o Objetivo.


Minha mãe me via com bons olhos e achou que eu havia avaliado questões relevantes na escolha, mas a verdade era que a única referência que eu havia tido para escolher foi o fato que a minha amiga (que a minha mãe considerava possível sequestradora) estudava lá e essa seria uma ótima oportunidade para conhecê-la!


E foi assim que no primeiro dia de aula no Objetivo eu cheguei mais cedo (deve ter sido o único dia de todo meu período escolar) e fiquei procurando um rosto que fosse familiar (mas não tinha como acontecer, porque afinal nunca a tinha visto ao vivo ou sequer alguma foto).


Eu não sabia ainda (se soubesse teria tirado foto, feito colagens e recolhido depoimentos pra fazer uma linda montagem com glitter hoje), mas este seria o dia que eu ia conhecer ao vivo umas das pessoas mais incríveis com quem já compartilhei a vida!


A aula já estava quase começando, eu já tinha conhecido quase a turma inteira, e nada dela. Até que TCHARÃÃÃ! ELA APARECEU! A Jaqueline!


Demorou pra cair a minha ficha, mas tão logo notei que ela veio na minha direção eu pensei "Como ela é esperta! Me reconheceu de primeira!"


Desse dia, até o dia que resolvi ser sincera com ela sobre isso, eu fingi que também a havia reconhecido porque me sentia uma péssima amiga por isso. Até que anos depois, no pesque-pague que era pra termos ido juntas da primeira vez e não fomos, ela disse:


"Karen, não precisa se sentir mal por isso. Eu sei que você não me reconheceu. É óbvio que você não me reconheceu, você nunca tinha me visto! Eu também nunca te vi, mas não foi muito brilhante da minha parte reconhecer você, já que você era a única menina nova na sala e também era a única japonesa na turma."


E foi nesse dia que eu percebi que eu não era uma péssima amiga, só era lesada.

E até hoje eu continuo sendo! Por isso...


Desculpa mesmo, xuxu, por não ter te mandado qualquer sinal de felicitação no seu aniversário!

Eu continuo com o mesmo cérebro lesado que não viu de imediato a lógica de como você havia me reconhecido, mas também continuo com o mesmo coração troca-de-escola-feliz pra ter você próxima (antes fisicamente, hoje emocionalmente)!


[originalmente publicado em 07 de março de 2017 no Facebook]


MÃÃÃE, A SENHORA TINHA RAZÃO

A JAQUE SEQUESTROU O MEU CORAÇÃO


Feliz aniversário!!

Nesse ano de 2021, 19 anos de amizade, no dia certo!! :D

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Diego