UM GOLE DO UNIVERSO

em crônicas

Em 2016 coloquei como uma das metas do ano "Aprender a fazer um bom nhoque", mas foi só no final de 2018 que finalmente fiz um nhoque com cara e sabor de nhoque. Um prato que eu pensei "Eu pagaria por isso em um restaurante. Não pagaria muito caro, mas pagaria". E considerando meus talentos gastronômicos, pra mim isso foi uma baita conquista, que só foi possível porque eu me empenhei muito mais do que nos anos anteriores. Em um mês eu fiz mais nhoques (e tentativas de nhoques) do que a soma de todas as tentativas dos dois anos anteriores. Eu aprendi empiricamente que a repetição constante é um importante hábito para aprendermos a fazer algo que exige técnica, tal como escrever... Que é uma das minhas metas de 2019 :)

  • Karen Harumi

Poemas

Atualizado: 12 de Fev de 2020

Eu já parti o meu coração inúmeras vezes. O faço com tanta frequência quanto arrumo o meu quarto (bem, talvez não seja tanto assim - dá pra ser bem mais).


Términos trazem em mim um lado infantil, meu cérebro começa a trabalhar em rimas (às vezes tão pobre quanto a relação) e então escrevo poemas. É a minha desistência de falar com a outra pessoa e uma vontade de falar comigo mesma.


...E aqui vão alguns desses poemas escritos nos últimos 4 anos (não tive determinação e pró-atividade pra procurar os que escrevi antes disso):



Dezembro de 2015


Ainda bem que se foi

Já pensou se ficasse?

...E a minha educação me fizesse

conviver com um (não tão) belo de um traste?



Julho de 2016


Estava aqui, até fiquei

mas notei que deu a hora de ir


Não demorarei, já partirei

e você fique aí

velando o túmulo desse amor antigo

que só te faz nutrir

um ódio onde o meu amor não entra

então tenho mesmo que partir



Janeiro de 2017


E fico feliz que você voltou, papai

Talvez agora eu aprenda que partir não é amar

Que amar é voltar

e não deixar de persistir



Março de 2018


É fim é fim é fim

mas havia uma esperança dentro de mim

Enfim enfim enfim

mas as coisas continuam assim,

eu vendo TV comendo pudim



Novembro de 2018


Se você não gosta mais de verde

Se você não gosta mais de mim

Tudo bem

Eu ainda gosto da cor

e ainda gosto de mim mesma mesmo assim



Novembro de 2019


Talvez nunca tenha sido pra ser

quando a única sincronia entre nós

tenha sido nos conhecer


Todo o resto deve ter sido coincidência, acaso

um caso

uma vontade de ter



Dezembro de 2019


Odeio dar tchau

Odeio você ter que partir


E enquanto isso continuo a reproduzir padrões

Percebendo o quanto sinto falta

quando a pessoa não está mais aqui

quando eu começo a dizer nomes

que eu sei que em nenhum outro lugar

eu vou ouvir,


sentindo uma cruel gratidão

que só serve pra me ferir

"Que bom que você existiu na minha vida

que pena nunca mais existir"


Ainda dezembro de 2019


E no fundo,

bem no fundo

eu sei que só não estou bem

Porque o que eu mais gosto em mim

é que eu nunca fui de ninguém.



Sendo bem sincera

eu odeio poemas,

não sei porque os escrevo

ainda mais por causa de bofe

Talvez seja só porque eu não consigo cantar como a Whitney Houston dizendo:

Where's that higher love I keep thinking of? *



Eu sinto que deveria ter vergonha, mas estou muito orgulhosa dessa minha última rima.


*Higher Love - Whitney Houston & Kygo

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Diego